Roosevelt Hamam
Presidente do Conselho Deliberativo ABAMACK

 

Já se vão quase 60 anos, quando tudo começou. A primeira turma da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie contava com 200 alunos, muitos dos quais participaram ativamente da maioria das ações acadêmicas que foram implantadas, já que tudo estava para se fazer. Para todos, era um mundo novo, não só pela iniciação em uma escola de nível superior, como também pelo pioneirismo de inaugurar o curso de Direito de uma das mais conceituadas instituições de ensino do País. Vale lembrar os primeiros tempos e, em função da fundação do Centro Acadêmico João Mendes Junior, o surgimento de partidos para disputar as eleições à Diretoria da Entidade. O primeiro a ser criado, o P.A.R. – Partido Acadêmico Realizador, cujo lançamento surpreendeu uma parte dos alunos que não haviam sido informados previamente de sua constituição, imediatamente provocou a fundação do P.A.D. –  Partido Acadêmico Democrático, com a justificativa de que surgia “não com o espírito de opositor, mas sim de colaborador e desejoso de grandes vitórias para o bem comum”. Na época, intitular um partido estudantil Democrático, foi uma inovação, pois não se tinha noticia de agremiação similar com essa denominação. Todos os que viveram nessa fase, haviam suportado 15 anos de ditadura caudilhesca, embora a democracia que surgiu tenha sido extremamente débil, pontilhada de fatos que estremeceram nosso regime, suicídio de Vargas, deposição de Café Filho, ameaças de golpes ao governo de JK, renúncia de Janio, deposição de Jango Goulart,  enfim, uma turbulência contínua nas instituições, que redundaram em ações de força, apregoadas como “proporcionar ao País condições para a retomada de plena democracia com prazo fixado de até 10 anos”, mas cuja duração atingiu 22 anos, ou seja, nova ditadura.

Pesquisando documentos da época, vem a propósito a apresentação que o PAD fez, de onde extraímos alguns trechos bem interessantes e peculiares para justificar sua denominação e seus objetivos: “o bem comum, a atividade escolar ao mais intenso grau de aproveitamento, o intercambio constante do pensamento acadêmico, a via de acesso aos nossos ideais mais elevados”. “A deformação ideológica de democracia falida, felizmente não encontrou lugar nas hostes acadêmicas. O PAD resume-se na apreciação mais exata do conceito de democracia; consubstancia-se na formação ideológica de seus componentes a forma imorredoura dos princípios liberais, independentes, honestos; por isso que a sua causa, o seu objetivo, norteou-se desde os primórdios da fundação, visando com exclusividade este sentido”.

Depois de tantos anos, olhar pelo retrovisor e relembrar os fatos e as expectativas dos mackenzistas desde os anos 50, nos fazem acreditar na força da juventude e na pureza de seus propósitos, especialmente na frase  final desse documento, procurando evidenciar a isenção de ambições e de conflitos internos: “os acadêmicos passarão; permanecerá o Centro Acadêmico”.

A própria fundação da ABAMACK é a comprovação desse espírito de união, independentemente das rivalidades do passado e com ênfase na valorização de nossa instituição e de todos os que cursaram nossa Faculdade, quer estejam no exercício de atividade jurídica ou em outras áreas de atuação.

Em tempo: agende-se para a comemoração dos 60 anos de nossa Faculdade, no próximo dia 10 de agosto.